segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Poema Simples



Ah Maria! Não queria te falar assim de angústia
Nem da pressa desses dias que me jogam contra o tempo
Sei que é preciso que haja um pouco mistério em tudo isso
Mas meus olhos de saudade já não mentem
E nada disso poderei te dar agora...

Só tenho comigo uma cartinha e uma flor
Quem sabe um animalzinho de origami
Não vale mais que um mistério, é verdade
Mas um sorriso teu e tudo feito...
Talvez consiga até te conquistar.
Mas você não me aparece Maria!
Você precisava ser assim tão louca?
Mesmo assim não nego que te quero.

E desconfio que aquele que pediu pra amar baixinho
Ou era casado ou era bem velinho.
E não me importo que me quebrem os telhados
E que fiquem surdos os passarinhos
Quero te amar agora
Com todos os sentidos
Sem mais devagarinho.

David Carneiro 16/11/09

5 comentários:

  1. "Um nome de mulher, um nome só...e nada mais..." ¬¬

    ResponderExcluir
  2. Eh rapaz, bonito esse poema.
    Só entende quem já amou...

    ResponderExcluir